A guardiã de estrelas

Não foi preciso ouvir as três batidas intervaladas na madeira oca da janela, confome o combinado, para saber que ela chegara. O som abafado de passos na terra macia e o cheiro de âmbar trazido pela brisa noturna lhe denunciou aos meus sentidos atentos. Levantei tateando a lamparina na cabeceira na cama. Ao primeiro fio de […]

Continue lendo →