Tudo velho de novo

Não houve mudança alguma após a queima de fogos. A vida continuou igual– o expediente retornou em alguns dias, a pilha de livros intocados ainda descansa sobre a prateleira e a roupa suja não deixou o cesto. Soletrar a contagem regressiva não soou como uma fórmula mágica. E quando o coro empolgado chegou ao 1, […]

Continue lendo →

Iara

Reza a lenda que ela nasceu no fim de uma tarde de solstício de verão, quando os deuses ainda dançavam com suas túnicas claras e cabelos trançados com fitas de seda, abençoados pelo sol. Ela veio do mar. Pele salgada, cabeça de vento, olhos cor de céu e língua arenosa. Não é à toa que […]

Continue lendo →

Como é fácil amar o mar

Ela sempre amou o mar. Tinha aquele amor disfarçado de raiva toda vez que as ondas lhe arrastavam para longe quando o seu corpo flutuava feliz, transformando a brincadeira em bagunça. E também pelo sabor da água salgada que insistia em entrar pelas suas narinas, arrancando-lhe uma careta, só para provar que era diferente de […]

Continue lendo →