Iara

Reza a lenda que ela nasceu no fim de uma tarde de solstício de verão, quando os deuses ainda dançavam com suas túnicas claras e cabelos trançados com fitas de seda, abençoados pelo sol. Ela veio do mar. Pele salgada, cabeça de vento, olhos cor de céu e língua arenosa. Não é à toa que […]

Continue lendo →

Pateta Poeta

Não gosto muito de poesia Sentimentos estúpidos, em ávida rebeldia Invadem o papel – tamanha insensatez! Pensa o poeta, talvez, Tornar bela a melancolia Quando não há beleza alguma na estupidez. Não me fio nessa coisa de estrofe Julgam seus artistas, boa estética? Ou justificam pela tal métrica? Pois não hesito: que arte pobre! Não […]

Continue lendo →