Não exagera, mina: é só uma piada!

feminismoLugar de mulher é na cozinha? É só uma piada. Mesmo sabendo que a grande maioria dos homens realmente acredita que são obrigações femininas os cuidados da casa e a educação dos filhos. E que cobranças nesse sentido, não raro, desencadeiam violência doméstica. Mas não é hilário falar a uma mulher que ela tem o direito de opinar, mas só se lavar a roupa e fizer a janta depois? Calma, não precisa se chatear. A gente sabe que, mesmo assumindo a jornada tripla, as mulheres estão ingressando no mercado de trabalho. Ainda que pra receber salários inferiores aos dos homens em todos os cargos. Mas isso é só um detalhe! Depois disso, não soa genial afirmar que, se as mulheres querem igualdade, elas devem começar pelo tempo de aposentadoria? Ou pelo alistamento no exército? É só pra descontrair o clima.

Loira burra? É só uma piada. Eu sei que mulheres são interrompidas o tempo inteiro quando tentam opinar no meio de homens – sei ainda que a coisa é tão séria que existe até um nome bonito pra isso: manterrupting. Sei também que homens adoram explicar as coisas de forma óbvia e didática às mulheres, como se elas não fossem capazes de compreender o que eles estão falando – mais um nomezão: mansplaining (e ainda conheço outros tantos!). Sei também que mulheres têm que se esforçar muito mais do que homens para provar que são competentes. Que sempre vão relacionar o seu sucesso profissional a uma suposta troca de favores sexuais. E vão elogiar a sua aparência em vez da sua habilidade. Mas, fala sério, não é de doer a barriga de rir eu reforçar todos essas práticas e estereótipos com uma piada?

Mulher no volante, perigo constante? Ah, não leva ao pé da letra. É só uma brincadeirinha. Eu leio os noticiários, sei que a proporção de homens que se envolvem em acidentes de trânsito é bastante superior à das mulheres (em acidentes de trabalho também, olha que loucura?!). É que mesmo assim a gente não consegue controlar essa necessidade absurda de diminuir, apagar e ridicularizar vocês. Como se a história não tivesse feito isso o bastante, hein? Ah, mas é só uma piada. Duvido que vocês sintam na pele, todos os dias, o preço das risadas que eu dou com os brothers às suas custas, né? Mas, pera lá, vamos rir mais um pouquinho. É realmente muito engraçado.
Tá, tá, eu sei que uma mulher é estuprada a cada onze minutos. Mas é só brincadeirinha quando eu digo que o feminismo acaba quando chega a conta do restaurante. Na verdade eu sei que o feminismo não vai acabar nem quando eu te oferecer uma carona pra casa, ou quando você entrar sozinha num táxi – sei ainda que, em qualquer um dos casos, você vai mandar a placa do carro pra sua amiga, junto com a promessa de que voltará a fazer contato em alguns minutos, se chegar em segurança. Caso contrário, ela saberá o que fazer. Eu sei que o feminismo não acaba quando você precisa chamar o encanador, quando entra num ônibus cheio, quando caminha pro trabalho e escuta um “te chupo toda” às sete da manhã. Eu sei que você precisa lidar com tudo isso, mas que mal faz uma brincadeira inocente? Foi engraçado, não foi? Além do mais, vamos ser sinceros – todo mundo sabe que eu nunca fui a restaurante algum com uma feminista. Caso contrário, não passaria vergonha em deixar escapar uma besteira dessas.

Aff, nossa! Eu sei que uma mulher é assassinada a cada três horas no país, calma lá. Sei também que 500 milhões são agredidas fisicamente a cada 60 minutos. Que 3 em cada 5 jovens já foram violentadas em um relacionamento. Não me tome por ignorante, eu conheço a realidade: 86% das brasileiras já sofreram alguma forma de assédio em público (apenas em público, que fique registrado!). Ah, mas pense comigo, pra quem é obrigado a conviver com isso todos os dias, uma ofensa disfarçada de humor não faz mal, né? Porque, que fique bem claro, se você em algum momento ameaçar contestar, cairá no universo paralelo das loucas, chatas, exageradas e radicais. Você não quer isso, quer? Além do mais, pra quem já tá acostumada a atravessar a rua por medo, a enfrentar o assédio do chefe, a ser estuprada pelo namorado, a apanhar do marido, pra quem já tá cansada de saber será previamente julgada intelectualmente inferior a um homem… O que é uma piadinha boba? Não é nada. Porra, mina, por que tanta falta de paciência? Faz de conta que você nunca sofreu agressão verbal, moral e psicológica e ri junto comigo! Vamos lá, é só mais um insultinho! Eu juro que é engraçado. É de morrer de rir! É de morrer.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *